sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Onisafra vence o PRÊMIO JARAQUI GRAÚDO 2016. Parabéns!!

A Onisafra foi escolhida a Startup do Ano no prêmio Jaraqui Graúdo, promovido pela comunidade @Jaraqui Valley. Conheço os jovens Macauly e o Daniel, conheço o site ONISAFRA e as boas possibilidades que essa ferramenta oferece ao produtor e consumidor. Tenho sempre dito aos dois que jamais desistam desse sonho, desse projeto, mesmo que em determinados momentos os obstáculos pareçam intransponíveis, mas não são. Alguns desses obstáculos até já adiante durante o DEMODAY, outro evento em que a Startup de vcs também foi vencedora.  Vcs são jovens, inteligentes e determinados. Além de tudo isso, o mercado amazonense necessita dessa ferramenta de apoio à comercialização. 


Esse GRUPO de PISCICULTORES vai longe....

Leia, abaixo, o recado do Leocy, do SEBRAE, responsável pela coordenação das atividades  

" ...2 Dia de Campo e Reuniao do Grupo Piscicultores do Amazonas, tendo como participantes Piscicultores de RPE, Iranduba, Manacapuru, Itacoatiara, P. Figueiredo e Manaus, Tecnicos do Sebrae, Idam, Ghaia Amazônia, Autonomos, e Convidados. No Sitio Ouro Verde, Am 240, km 48, sr. Braulio Ramos Sobrinho. Durante a tarde, visita técnica a fazenda de alevinagem Sto Antonio, Am 240, km 47, do sr Alexandre Honckzaryck. Manha: Palestra Dra Ana Lucia sobre prevenção sobre parasitos de peixes. e reunião com encaminhamentos sobre Energia verde, marca peixe produzido no Am. Software de gestão de piscicultura, representatividade do grupo, teste com raçoes alternativas, Sorteio de 02 kits de. analise de água e balança digital. Próxima reunião marcada oara o Rio Preto da Eva em Fev 2016..
Convide seu amigo piscicultor para estar conosco nesse Grupo e " Valorizar o peixe criado no Amazonas".
Obrigado a todos


Alguns comentários sobre o artigo que fala na homenagem ao IDAM/Extensionistas


PREME deveria ter controles aprimorados pelo ESTADO

Concordo com o presidente da ADS quando ele afirma nessa matéria do JC que "nossa finalidade é contribuir principalmente com a renda e a qualidade de vida dos nossos produtores", mas pergunto: A ADS tem o nome dos 300 produtores citados na matéria? Sabe quanto foi pago a cada um deles pela empresa privada? Em que municípios? Essas informações precisam ser disponibilizadas no site da ADS para um maior sucesso dos objetivos do PREME. Além disso, a ADS deveria ter uma equipe que, regularmente, visitasse os produtores fornecedores do PREME para colher a opinião, saber se estão satisfeitos, o que precisa melhorar, quanto receberam pela produção e por aí vai. Prioritariamente os que fornecem via agroindústrias. Deixo claro que não sou contra o beneficiamento privado de produtos regionais, nem poderia ser, mas tem de ter limites financeiros, saber quem são os fornecedores (agricultores/extrativistas e pescadores) e o valor pago pela empresa que beneficia. Quando o fornecimento também for feito por grupos formais (cooperativas e associações), a ADS deveria exigir o nome de todos os agricultores (a DAP JURÍDICA já registra os nomes) e, regularmente, ir direto ao produtor rural para saber o valor que ele recebeu pelo fornecimento do produto regional. Esses procedimentos minimizam a atuação de todos os tipos de atravessadores. Agora, a "Compensa" deve fazer sua parte mantendo o pagamento EM DIA. Não tenho nada contra a empresa citada na matéria,  nem poderia ter, pois gera emprego com produtos regionais. Apenas usei essa notícia para sugerir que os controles do PREME sejam aprimorados. 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Daniel e Tomás tem artigo publicado na Revista do CREA-AM

Mario Ono afirma que a "MAIORIA DOS AGRICULTORES FAMILIARES NÃO USA INSUMOS QUÍMICOS"

Essa frase contida no slide do MARIO ONO (do IDAM, integrante importante e ativo da Rede Maniva, bem como do Fórum de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos) com a afirmativa de que a "MAIORIA DOS AGRICULTORES FAMILIARES NÃO USA INSUMOS QUÍMICOS" no Amazonas (eu concordo integralmente com essa frase) deveria nos levar a  profundas reflexões e priorizar certas ações.  É bom lembrar que temos 99,1% da nossa agricultura de base familiar.  Em segundo lugar, se a MAIORIA não usa INSUMOS QUÍMICOS (está registrado no slide por técnico que acompanha o tema), o que eles cultivam ou colhem da natureza são produtos ORGÂNICOS que não estão sendo comercializados NESSA CONDIÇÃO em razão da pequena estrutura dos órgãos responsáveis pelo reconhecimento de tal produção como orgânica e/ou agroecológica. É nesse caminho que devemos RADICALIZAR, ou seja, o de exigir estrutura adequada ao desafio amazônico para que a  "MAIORIA DOS AGRICULTORES FAMILIARES NÃO USA INSUMO QUÍMICOS" tenham o documento do MAPA, de uma OCS, OPAC e/ou de uma CERTIFICADORA para que possam, de fato, vender seu produto no mercado (público ou privado) devidamente reconhecido e legalizado como ORGÂNICO. Repito, é nessa direção que devemos RADICALIZAR. Essa esclarecedora palestra do MARIO ONO aconteceu durante a abertura da Semana Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos no AM. Finalizo, reiterando que devemos unir todos os esforços para que esse agricultores, assim como os PESCADORES, tenham reconhecido seu produto pela sociedade como orgânicos. É bom pra ele, pra quem consome e pra economia do estado. Nessa direção em concordo com o RADICALISMO...

"Aspectos da reforma da Previdência Social", artigo publicado no JC

Artigo publicado nesta quinta-feira (08) no Jornal do Commercio/AM

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Defendido o SEGURO DEFESO TOTAL para o Amazonas

Durante reunião ordinária do CONEPA, que aconteceu nesta terça (06) na ALEAM, o pescador LINO, também proprietário de barco de pesca, fez duras críticas e denúncias que envolvem o setor pesqueiro do Amazonas. Questionou o atual funcionamento do Terminal Pesqueiro de Manaus, e defendeu o SEGURO DEFESO TOTAL, ou seja, de todas as espécies. Será que essa é a melhor alternativa? O defeso total não vai comprometer a segurança alimentar do amazonense? Só quem conhece profundamente o setor pode e deve opinar. 

"Ausências inaceitáveis na homenagem ao IDAM" - JC/Artigo

LEI DA AQUICULTURA DO AMAZONAS volta a ser discutida na ALEAM

Essa LEI já tem vários "capítulos". Será que agora vai? Conheço vários especialistas no assunto que se dedicaram na construção dessa legislação e precisam ver as propostas contempladas no texto final.

DIA DA SILVICULTURA, 7 de dezembro..


"Orçamento público e a Lei de Responsabilidade Fiscal", de Osíris Silva


Editora da Amazônia convida para lançamento do livro de autoria do economista OSÍRIS SILVA


segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

XV SEMAGRO comemora 40 anos do curso de Agronomia da UFAM


Começou a XV SEMANA DE AGRONOMIA da UFAM

Nesta segunda (05), na FCA/UFAM, aconteceu a abertura da XV SEMAGRO. Segundo Rafael, presidente do Centro Universitário e Cultura de AGRONOMIA, a última edição da SEMAGRO aconteceu em 2012 (4 anos atrás).  Ele destacou a importância do evento e a programação que acontece durante toda a semana.  O presidente da FAEA, Muni Lourenço, e o secretário executivo da SEPROR, Valdenor Cardoso, prestigiaram esse importante momento. Após a mesa de abertura, teve início as seguintes palestras.

1-Cenário da Agricultura no Estado do Amazonas
Palestrante: Thomaz Meirelles (CONAB)
2-Manejo e conservação da agrobiodiversidade
Palestrante: Prof. Dr. Henrique Pereira (UFAM)
Penso que eventos dessa natureza num estado que tem a indesejável marca de 350 mil famílias em extrema pobreza (100 mil na capital) deva contar com a presença de um maior número de autoridades prioritariamente das áreas de produção e meio ambiente. Valdenor representou a AEA e o Sistema SEPROR.

Mesmo sem energia, portanto, sem contar com o recurso dos slides, penso que contribuímos levantando pontos para reflexão dos futuros agrônomos. Também é sempre um grande privilégio dividir o mesmo espaço e aprender com o amigo professor Henrique.

CNA emite comunicado sobre relatório da ANVISA


domingo, 4 de dezembro de 2016

Amazonas é quem mais aplica no PAA na Região Norte

Cenário Nacional em 2016, até outubro. 

Na Região Norte, o Amazonas lidera na aplicação dos recursos do MDSA. Contudo, a demanda estimada para este ano era de R$ 15 milhões, mas ainda deve chegar em R$ 7 milhões. Falando em PAA, é urgente a necessidade da SEPROR voltar a operar esse PROGRAMA.

PRONAF lidera aplicação do crédito rural no Brasil

Esses dados referem-se ao presente exercício (2016) e de todo o Brasil. Infelizmente, por falta de estrutura dos agentes operadores, do vazio bancário no interior (70%) e, ainda, da reduzida estrutura do IDAM nosso estado ocupa um dos últimos lugares no acesso ao crédito rural do Brasil. Essas informações estão disponíveis nos Indicadores Agropecuários, mês NOV/16, elaborado e publicado pela CONAB.

Entrevista na CBN AMAZÔNIA AGRONEGÓCIO

video

sábado, 3 de dezembro de 2016

Importância do IDAM é reconhecida na ALEAM

Na próxima terça (06), no Jornal do Commercio/AM, minha coluna AGRONEGÓCIOS será sobre esse evento na ALEAM.

Sistema Sepror define ações para o manejo de recursos naturais

As novas estratégias para ampliação do Manejo de Recursos Naturais para 2017 já estão na pauta do Governo do Estado do Amazonas. Em reunião realizada nesta quinta-feira, 1º, representantes do Sistema Sepror – Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável (IDAM), Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), Secretaria de Pesca e Aquicultura (Sepa) e Agência de Defesa Agropecuária Florestal (ADAF) – apresentaram ações para o incentivo, orientação e coordenação de ações voltadas às cadeias produtivas.
De acordo com o secretário de Produção Rural, Hamilton Casara, o IDAM entrará com assistência técnica, a ADAF com o Serviço de Certificação (Sic), o Idam e a Sepa com a produção e a ADS com a comercialização dos produtos.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

ALEAM homenageia Idam e extensionistas rurais do Amazonas

A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) realizou nesta sexta-feira (2) uma Sessão Especial em homenagem ao Dia Nacional do Extensionista Rural, comemorado em 6 de dezembro. De autoria dos deputados estaduais Adjuto Afonso (PDT) e Luiz Castro (REDE), o evento também homenageou os 50 anos de extensionismo rural no Estado e os 20 anos do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam). Autoridades, técnicos e produtores do setor primário estiveram presentes à sessão.
Em seu discurso, Luiz Castro destacou a importância do extensionista rural para a difusão de conhecimentos técnicos aos produtores rurais e para o consequente desenvolvimento do setor primário. O parlamentar também citou nominalmente os homenageados da sessão especial.

Escoamento da produção no AM precisa de amparo do PEP e/ou PEPRO

Essa notícia foi divulgado no site do Ministério da Agricultura e da Conab. É uma decisão acertada do Governo Federal para socorrer os produtores de TRIGO da Região Sul, mas que também deveria ajudar o escoamento da produção dos extrativistas e agricultores familiares do Amazonas (maior estado da federação cujas dimensões geográficas comportam toda a região Nordeste). Tenho chamado de PEP AMAZÔNICO. "PEP" significa prêmio para escoamento do produto. Se analisarmos o conteúdo da matéria acima vamos confirmar que, por exemplo, o escoamento da borracha poderia perfeitamente estar enquadrada, pois já é um produto que faz parte da política de preço mínimo. Idem para as fibras de malva e juta e, no futuro, ao nosso pirarucu de manejo. Agora, o primeiro passo seria o governo estadual demonstrar interesse nesse assunto, sem o estado não tem como avançar. Nossas quantidades seriam bem menores das citadas nessa matéria do PEP e PEPRO de trigo, e consequentemente o desembolso financeiro. Lembro bem que, no auditório da FAEA, com a presença de assessores da ex-ministra Kátia Abreu apresentei essa sugestão do PEP AMAZÔNICO, ou seja, a utilização desse instrumento de apoio à comercialização para uso dentro do próprio estado do Amazonas em decorrência das dimensões continentais. Percebi que os assessores gostaram da proposta, entenderam as razões (nem poderia ser diferente), mas o setor está calado diante dessa possibilidade. O Sistema SEPROR deveria puxar esse assunto. Fica a dica! 

Sidney faz afirmativas duras, preocupantes, mas verdadeiras...

Nesta sexta (02), em solenidade que homenageou o DIA DO EXTENSIONISTA na ALEAM, o deputado Sidney Leite, que recentemente deixou o comando do Sistema SEPROR, fez as seguintes e preocupantes afirmativas: "o atual orçamento do IDAM é insuficiente para atender todos os escritórios do interior"; que a área ambiental do estado é boa e rápida para punir"; "que a regularização fundiária é um grande entrave" e "que o orçamento da SEPROR deve ser maior". Defendeu concurso público para o IDAM, e não contratações temporárias. Defendeu a implementação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários. Também disse que se nada mudar em pouco tempo nem o PRONAF "nós vamos aplicar" no Amazonas. Por fim, disse ser inadmissível um estado que constrói uma PONTE e a ARENA não priorizar o setor  primário. Concordo 100%!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Dermilson e Luiz Castro precisam convocar audiência pública conjunta para avaliar relatório da ANVISA

https://www.youtube.com/watch?v=Khcr3oTESmI

Não defendo o radicalismo extremo contra o uso dos agrotóxicos por vários motivos, todos já citados neste blog. Assim como sou totalmente contrário o uso e a comercialização de agrotóxicos que ferem a legislação vigente e as normas técnicas. Nesse vídeo, o Diretor Presidente da ANVISA, Jarbas Barbosa, faz comentários sobre os últimos dados divulgados do "PARA", e são bem diferentes dos números do último levantamento. Acredito e confio na responsabilidade do trabalho da  ANVISA, mas já tenho observado certo sentimento de descrédito nesse trabalho, ou seja, o que era perfeito/verdade  quando a ANVISA anunciou altos índices de resíduos, agora já não é mais em razão de ter apresentado amostras com apenas 1% acima dos limites permitidos. Em síntese, o assunto é sério e precisa, urgentemente, ser objeto de audiência pública conjunta na ALEAM envolvendo as comissões de Agricultura e Meio Ambiente. Fica a sugestão!