quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Em Tabatinga, os engenheiros Leonilson e Lázaro orientam sobre o CAR

Iniciado, na UL/IDAM de Tabatinga, no último dia 14, com término no dia 18 de agosto, a capacitação e treinamento sobre o SISTEMA DO CADASTRO AMBIENTAL RURAL - SICAR aos técnicos das Unidades Locais do IDAM de Tabatinga, Atalaia Do Norte e Benjamin Constant e parceiros das Secretarias Municipais de Meio Ambiente e Produção/Abastecimento Rural dos municípios de Tabatinga e Atalaia do Norte e Instituto Federal do Amazonas (IFAM) - Campus Tabatinga. A capacitação é promovida pelo Departamento de Assistência Técnica e Extensão Florestal – *DATEF* em parceria com o Departamento de Operações – *DOPER* e apoio da Unidade Local de Tabatinga. No curso será apresentado: Toda legislação relacionado ao SICAR, Noções de Geotecnologias aplicadas ao CAR, Prática de Campo, Prática do Módulo de Cadastro.
Os instrutores são os *Engenheiros Florestais Leonilson Magalhães Cavalcante do IDAM/DATEF/NUCGEO e Lázaro Monteiro Reis IDAM/DOPER.*




Imagem define como é difícil a vida de quem quer produzir no Amazonas

Esse é o Francisco Garcia, produtor rural e presidente do Sindicato Rural de Rio Preto da Eva. A imagem, que vem de um município próximo e com boa produção, por si só já define como é a vida de quem deseja produzir no Amazonas.

Precisamos, urgente, de uma CENTRAL DE COMERCIALIZAÇÃO

Ontem, na FIEAM, em mais uma reunião do Comitê de Apoio ao Agronegócio, voltei a defender a criação de uma CENTRAL DE COMERCIALIZAÇÃO DA AGRICULTURA FAMILIAR com estrutura para beneficiar produtos regionais. Fui convidado pela coordenação do Comitê em razão do artigo publicado no Jornal do Commercio com o título "Cuiabá já tem sua CENTRAL. E a de Manaus?". Em síntese, essa CENTRAL deveria ser equipada pelo ESTADO, via FPS, que tem dinheiro, e a gestão ficaria sob a responsabilidade das COOPERATIVAS AGROPECUÁRIAS, com apoio da OCB. O local seria na ociosa CENTRAL construída no Iranduba na gestão do OMAR que, até agora, não funcionou. Discordo, totalmente, de quem afirma que aquela gigantesca central foi construída somente para abrigar os vendedores que ficavam ao longo da estrada. Eles nem foram para a Central (continuam na estrada), nem precisaria de todo aquele tamanho se esse realmente fosse o objetivo. A única certeza que tenho é que foram investidos mais de 15 milhões. Espero que o eleito no próximo dia 27, ou até mesmo o David se o processo de cassação do Melo não for definitivamente resolvido em Brasília, coloque pra funcionar aquele elefante branco.
Ia esquecendo: defendo a gestão pelas cooperativas agropecuárias, mas a estrutura (com beneficiamento de produtos regionais) também seria utilizada por associações, colônias (pescado) e produtor individual. 

MUNI destaca os 13 anos de luta para o AM ser Livre da Febre Aftosa

Durante encontro do Comitê de Agronegócios que aconteceu, ontem (15), no auditório da FIEAM, o presidente do Sistema FAEA/SENAR, Muni Lourenço Junior, deu a ótima notícia de que o Amazonas seria reconhecido com status de LIVRE DE AFTOSA COM VACINAÇÃO. Muni destacou que foram longos 13 anos de luta para chegar nesse momento, que 60 mil pecuaristas seriam beneficiados e, também, que o preço da arroba do boi certamente seria valorizada (atualmente, a desvalorização, por ainda não ter o reconhecimento de livre de aftosa com vacinação, sofre 30% de desvalorização). É, sem dúvida alguma, uma gigantesca conquista do setor primário do Amazonas que foi construída por vários órgãos do governo federal e estadual e produtores rurais. Contudo, é impossível deixar de reconhecer que nesses TREZE ANOS de luta teve uma ENTIDADE que jamais deixou de sonhar e lutar para que esse dia chegasse. Estou falando da FEDERAÇÃO DE AGRICULTURA E PECUÁRIA DO AMAZONAS, a nossa FAEA. Não podemos relaxar, o trabalho continua!!!

Enfim, somos Livre da Febre Aftosa com vacinação. Vendo esse convite fico imaginando o desastre que seria se o governo anterior tivesse concretizado a extinção da ADAF. Felizmente esse momento já passou, agora é hora de estruturar todo o Sistema SEPROR (IDAM, ADAF, ADS ...). Já a SEPA deveria sair do Sistema e ser uma secretaria independente.
Meu reconhecimento ao apoio do MAPA e aos gestores que passaram pela SFA/AM

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Se o habitante da floresta não for bem remunerado, nenhuma iniciativa segura o DESMATAMENTO

Não tenho conhecimento aprofundado sobre o que vem sendo feito com os recursos do FUNDO AMAZÔNIA no Amazonas, mas é fato que a expressiva maioria das pessoas que vivem no interior do estado não estão nada bem.  Observo o foco do FUNDO no combate as desmatamento, e pouco na remuneração do SER HUMANO que ainda habita e defende a floresta. O Fundo fala em manejo, mas nada é viabilizado com o dinheiro do FUNDO para  superar os entraves da cadeia produtiva do pirarucu de áreas manejadas. O FUNDO quer apoiar o CONTROLE, MONITORAMENTO e FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL, mas não vejo preocupação com iniciativas que melhore a RENDA DO MANEJADOR DE PIRARUCU. Poderia citar outros arranjos, mas fico apenas com o exemplo do pirarucu que tem autorização anual do IBAMA para a despesca.
Penso que o FUNDO AMAZÔNIA deveria ser usado, inicialmente e prioritariamente, para finalizar o ZONEAMENTO ECONÔMICO ECOLÓGICO - ZEE do nosso ESTADO que se arrasta há anos e sem data para concluir.
O ZEE é fundamental para o planejamento das ações, e indispensável para o Governo Federal iniciar o Zoneamento Agrícola de Risco Climático - ZARC.
Se o homem da floresta não for bem remunerado, e não está sendo, nenhuma iniciativa seguro o DESMATAMENTO.

Para reflexão do SETOR e da "COMPENSA"

Enquanto isso acontece em RONDÔNIA, por aqui a nossa SEPA ainda não tem status de secretaria, possui uma equipe guerreira, mas que inaceitavelmente cabe num selfie.  Estamos diante de novo ataque ao modelo PIM/ZFM, mas nossas autoridades não aprendem que a solução está no setor agropecuário local. Só o setor pesqueiro do Amazonas emprega mais do que o PIM/ZFM. 
Propaganda em um Restaurante de CASCAVEL-PR

Já chegou a SECA, e nada da "Compensa" assinar a adesão ao GARANTIA SAFRA

Fico cada vez mais impressionado com o descaso com as populações ribeirinhas do Amazonas com a NÃO ADESÃO, por parte da "Compensa", ao programa federal GARANTIA SAFRA quando leio, novamente, notícias sobre cheia e seca. Agora é a SECA, onde a Defesa Civil já emitiu estado de alerta para 11 cidades do AM. Tenho certeza que se o governador David Almeida, que já pagou a primeira parte da subvenção ao juticultor, ouvir assessores do secretário Dedei, que conhecem os caminhos para se chegar ao Garantia Safra, assinaria esse TERMO DE ADESÃO antes de deixar o governo.
É sempre bom lembar que foi a presidente Dilma que estendeu, em 2013, os benefícios do Garantia Safra ao Amazonas (era exclusivo ao Nordeste, e regiões de MG). Nós é que ainda não fizemos o dever de casa que pode viabilizar R$ 850 aos ribeirinhos atingidos pelas cheias e secas dos nossos RIOS.


segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Espero que a PRIMEIRA DAMA faça o "feijão com arroz" no comando do FMS. A primeira ação deve ser o combate ao desperdício e à FOME

De nada vai adiantar a criação do FUNDO MANAUS SOLIDÁRIA se o ARTUR não resolver o desperdício de 85 toneladas diárias de alimentos nas feiras de Manaus (matéria do Diário do Amazonas). Só na feira da Manaus Moderna são 7,6 toneladas dia. Manaus tem aproximadamente 100 mil famílias em extrema pobreza, então, não adianta lançar camisa e usar palavras bonitas como  "apoio", "solidariedade", "bondade" e "atitude", como as que aparecem na foto acima, deixando ir PARA O LIXO diariamente 95 toneladas de alimentos. Cadê a "solidariedade"? Cadê a "atitude"? Repito, 100 mil famílias em Manaus passam fome diariamente. Recomendo que o Artur procure o Mesa Brasil do SESC e formalize uma parceria, via o FMS, para mudar essa realidade. Nada é mais urgente do que resolver a FOME dessas famílias. Além do Mesa Brasil/SESC/AM, recomendo que a primeira dama conheça o que vem sendo feito por alguns alunos da UNINORTE no combate ao desperdício nas feiras e na segurança alimentar. Pelo amor de DEUS não inventem, comecem por aí. É urgente, e tem como evitar que essas toneladas sigam o caminho do LIXO. 

COMAPA lança concurso para escolher a LOGOMARCA

Para mais informações entre em contato com a comissão pelo número (92) 31834461. Você pode também acessar todo o regulamento do concurso através do site: http://www.ale.am.gov.br/comissoes/comissao-de-agricultura-pecuaria-pesca-abastecimento-e-desenvolvimento/

INPA é sede de debates para diminuir a perda na pesca de pequena escala

Esse é o segundo encontro, estimulado pela FAO/INFOPESCA/INPA, que vem definindo caminhos para o projeto que visa a diminuição das perdas pós capturada da pesca de pequena escala na Bacia Amazônica. Meu amigo e pesquisador do INPA, Rogério de Jesus, vem coordenando o assunto.

Orlando Cidade lembra do SEGURO RURAL durante solenidade em Manacapuru

Acompanhei, hoje, o evento do pagamento da subvenção aos juticultores através do facebook do governador David Almeida (transmissão ao vivo). Confesso que gostei muito de ouvir, várias vezes, o deputado estadual Orlando Cidade lembrar que o Amazonas é o único estado do Brasil onde seus produtores rurais não podem contar com o apoio do SEGURO RURAL. Parabéns deputado Orlando Cidade, boa e estratégica defesa perante o governador do estado. Precisamos concluir o ZEE e, em seguida, iniciar o ZARC (Zoneamento Agrícola de Risco Climático). Sem essas ferramentas jamais teremos o SEGURO RURAL. Também concordo com sua afirmativa de que "falta vontade política" na "Compensa". 

"Até dia 30 de setembro vou pagar o restante da subvenção", afirmou governador David Almeida

"Não estou fazendo mais do que minha obrigação....até dia 30 de setembro vou pagar o restante da subvenção". Com essas frases, o governador David Almeida encerrou três anos de atraso no pagamento ao juticultor. Isso é pouco para um estado que precisa, urgente, encontrar novo caminho econômico, pois o PIM já está com os dias contados. Contudo, David Almeida mostrou uma sensibilidade que não se viu com Omar e Melo no comando da "Compensa". Talvez tenha adquirida essa sensibilidade ouvindo, no Plenário da ALEAM, os constantes apelos do Luiz Castro, Dermilson, Adjuto Afonso, Alessandra Campelo, Orlando Cidade e José Ricardo para que a subvenção foi paga. Dedei e José Jorge foram fundamentais.  Muni, da FAEA e da Câmara Nacional de Fibras, foi incansável, assim como a OCB/AM. É evidente que a FETAGRI/AM também teve sua participação, mas precisa estar mais forte e presente, até mesmo quando não for convidada, pois tem papel fundamental no desenvolvimento rural. Merece registro o trabalho da ADS, IDAM, indústrias e cooperativas para levantar a documentação necessária ao pagamento. Aliás, quanto a forma de pagamento, em outra postagem vou apresentar sugestão. Um pequeno passo foi dado, espero que o eleito no próximo dia 27 siga esse caminho. Estaremos acompanhando e cobrando!!

Mais de 2.700 acessos na matéria que fala do CONCURSO PÚBLICO do IDAM

O número de pessoas alcançadas (2.704) e de compartilhamentos (35) mostram o grande interesse do setor primário na realização do tão sonhado, prometido e necessário CONCURSO PÚBLICO do nosso IDAM. Arrisco dizer que não existe quem seja contra, pois é a saída econômica do Amazonas. Agradeço ao MP e MPF pela sensibilidade e pela defesa desse tema. O caminho ainda é longo, mas estou convicto de que teremos avanços concretos no transcorrer de 2018.

Quem ainda não leu, recomendo acessar o:
http://thomazrural.blogspot.com.br/2017/08/massami-miki-confirma-ao-mp-e-mpf.html

Faltou o Sistema FAEA/SENAR na matéria de capa do nosso JC

A matéria do nosso JC deixou de citar a entidade que sempre defendeu a bandeira da soberania alimentar de todo o estado do Amazonas, o Sistema FAEA/SENAR. Se não fosse o Sistema FAEA/SENAR a inaceitável dependência na importação de alimentos básicos seria ainda maior, o vazio no interior também seria ainda maior. Quem tiver dúvida no que estou afirmando, recomendo a leitura das diversas edições do livro "O Amazonas e seus problemas" de autoria do saudoso e inesquecível Eurípedes Ferreira Lins. Nesses últimos 50 anos que, equivocadamente, as autoridades amazonenses concentraram total atenção no modelo PIM/ZFM, foi o Sistema FAEA/SENAR, nas pessoas do Eurípedes e Muni (antes SENAR, hoje no comando do Sistema) que, em nenhum momento, deixaram de defender o desenvolvimento econômico do Amazonas por meio da agropecuária. Hoje, com a queda irreversível do emprego no modelo econômico implantado no Polo Industrial de Manaus, certamente serão as ideias defendidas, há décadas, pelo Sistema FAEA/SENAR que salvarão o Amazonas do caos total. 

sábado, 12 de agosto de 2017

ADAF acompanha o transporte fluvial de bovinos e bubalinos

Muito bom saber que a ADAF, Unidade do Careiro da Várzea, constatou que o transporte fluvial de bovinos e bubalinos vem acontecendo atendendo a legislação, ou seja, com a devida emissão da GTA (Guia de Trânsito Animal). 



sexta-feira, 11 de agosto de 2017

David Almeida paga a subvenção na SEGUNDA-FEIRA, dia 14, em Manacapuru

Nem Omar nem Melo, foi o governador interino David Almeida quem encerrou o ciclo de 3 anos de atraso no pagamento do subsídio estadual aos juticultores. Quando existe vontade na "Compensa", o recurso financeiro aparece. Sei que ainda não é o total pendente, mas uma boa sinalização, que vai animar o juticultor e movimentar a economia dos municípios envolvidos. Quem acompanha o "Thomaz Rural" sabe que regularmente faço críticas, penso que construtivas, portanto, neste momento, jamais poderia deixar de reconhecer a equipe do atual secretário, Dedei Lobo, que desde o primeiro dia de gestão vem tentando sensibilizar o governador. O convite acima mostra que conseguiram!! O juticultor agradece!!
A ADS vem coordenando todo o processo de pagamento, certamente em parceria com o nosso IDAM.

Vejam o que o governador do CEARÁ assinou HOJE

E a nossa "Compensa" continua deitada em berço esplêndido, só pensando, discursando, prometendo, e não resolvendo, os problemas da saúde, educação e a segurança. Nossos políticos, com raríssimas exceções (nomes já citados neste blog), também não enxergam o potencial do setor primário do Amazonas. 

Meus tios, Zé e Graça, mostram que é possível ter uma diversificada HORTA CASEIRA. Parabéns!!!

Recebi essa imagem dos meus tios ZÉ e GRAÇA (Maroca), que moram no Dom Pedro, mostrando a produção de GENGIBRE da pequena HORTA que eles cultivam na própria residência. E não é só gengibre, tem quiabo, maxixe, alface, tomate, salsa, coentro, chicória, cebolinha, pimenta, hortelã, manjericão, alfavaca e caruru. Tudo para consumo próprio, e sem uso de produto químico. Essa atitude, que é simples, mostra que é possível economizar alguns trocados, melhorar o tempero das refeições diárias e, logicamente, a saúde. Bem, apesar de ser para consumo interno, sei que o meu gengibre tá garantido. Belo exemplo, que deve ser copiado por todos que moram no Amazonas.

Ministério da Agricultura publica edital para seleção de 300 médicos veterinários temporários

Saiu o edital do processo seletivo simplificado destinado à contratação temporária de 300 médicos veterinários para o Serviço de Inspeção Federal (SIF) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A remuneração será de R$ 6.710,58, e o prazo de contratação será de um ano a partir da admissão, podendo ser prorrogado por mais um ano, respeitando-se o limite máximo de dois anos. As inscrições terão início em 14 de agosto, a prova objetiva está prevista para o dia 17 de setembro. Saiba mais: https://goo.gl/9svbn2

SEBRAE oferece CURSO para gestão em PISCICULTURA


Isso aconteceu em RONDÔNIA, e no AMAZONAS?

É evidente que precisamos de ações idênticas no Amazonas. Já tivemos algo semelhante? Temos algum FUNDO semelhante ao mencionado na matéria (Fundo Estadual de Sanidade Animal)? 


Vem aí a EXPOHUMA 2017. E a nossa EXPOAGRO?

Enquanto isso, a nossa EXPOAGRO continua esquecida. Certamente este ano não acontecerá, e ano que vem tem nova ELEIÇÃO. O Estado deveria disponibilizar somente o LOCAL (com estrutura) e o resto ficaria por conta do setor privado e produtores. Entretanto, desde a gestão do OMAR (foto abaixo), passou pelo Melo, e até agora NADA DEFINIDO QUANTO AO LOCAL.  Mais recentemente, também foto abaixo, sob o comando do CASARA, nova rodada de debates com o tema EXPOAGRO voltou a acontecer. O que evoluiu? 

 Fico impressionado com a forma da "Compensa" tratar o setor primário do Amazonas. Fazem o que querem, e nada acontece. Qual será o dia que vão nos respeitar? A imagem alegre de todos, e não poderia ser diferente, mostra que o assunto já estaria resolvido. Então, cadê o local? 
Esse encontro marcou a retomada dos debates sobre a EXPOAGRO. Como ficou? 

BERURI, NOVO AIRÃO e MANACAPURU inauguram novas FEIRAS DE PRODUTOS REGIONAIS

Com apoio do governo estadual, por meio da ADS/SEPROR, nesta sexta (11) serão inauguradas as FEIRAS REGIONAIS dos municípios de BERURI e NOVO AIRÃO. Na próxima segunda, coincidindo com o início do pagamento da subsídio ao JUTICULTOR, será inaugurada a nova FEIRA DE MANACAPURU. É evidente a participação e contribuição do IDAM em todos esses municípios, inclusive na articulação para o pagamento aos juticultores. Também é fato que os recursos para as FEIRAS são do FUNDO DE PROMOÇÃO SOCIAL (FPS), mas o FPS já deveria pensar em estruturar a CENTRAL DE ABASTECIMENTO DE IRANDUBA com pequenas estruturas de beneficiamento da produção regional. 

Tecnologia agiliza beneficiamento de feijão verde

Matéria publicada no Jornal do Commercio/AM - www.jcam.com.br

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Agricultores familiares URBANOS terão acesso à DAP


Acho correta e necessária essa decisão
A Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) irá elaborar uma instrução normativa para estabelecer parâmetros legais de identificação dos agricultores familiares urbanos, com o propósito de facilitar o acesso desses trabalhadores à emissão da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) e às políticas públicas de fortalecimento da agricultura familiar.

CONAB anuncia supersafra de grãos



Com um aumento de 27,7% ou 51,6 milhões de toneladas, a safra de grãos 2016/17 deve chegar a 238,2 milhões de toneladas frente às 186,6 milhões de t da safra passada. Os números da 11ª e penúltima estimativa da safra atual foram divulgados nesta quinta-feira (10) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

É vergonhoso ter esses números no maior ESTADO DO BRASIL !!!

A primeira palestra magna  da 74ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), principal evento da área tecnológica do país, foi do engenheiro agrônomo Alfredo Kingo Oyama Homma e teve como tema “Agricultura na Amazônia: Conflitos e Oportunidades”. Alfredo Homma é especialista em extrativismo vegetal na região e pesquisador da Embrapa e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). Em 2015 foi homenageado com a Medalha do Mérito do Sistema Confea/Crea. 
Os números do Amazonas apresentados pelo ALFREDO HOMMA mostram, claramente, o gigantesco descaso dos nossos últimos governadores com o setor primário do nosso estado. Vejam os números do AM na "venda de tratores de rodas" e o "consumo de fertilizantes". 
Sem comentários, uma vergonha, mas não vamos perder as esperanças. Eu ainda acredito! 

Fonte: fotos de um amigo que está participando da 74 SOEA..



Apenas 11 tratores no AM, e olha que o foco vem sendo a mecanização. 



Agendado para SEGUNDA o pagamento de R$ 822 mil ao JUTICULTOR

Está agendado para a próxima segunda-feira, dia 14, em Manacapuru, o pagamento do subsídio aos juticultores de Anori, Anamã,  Beruri, Codajás, Caapiranga, Manaquiri e Manacapuru no valor de R$ 822 mil. É a ADS que está coordenando o pagamento. Ainda não é o total pendente, mas já é uma demonstração de sensibilidade e força do atual secretário de produção rural, Dedei Lobo, junto ao governador David Almeida. Nem Omar, nem Melo, ouviram os apelos do Bolacha, Sidney e Casara. Que o restante ainda pendente seja pago o mais rápido possível, essa cadeia produtiva precisa urgente de nova injeção de ânimo, pois ela gera, de fato, o tão falado emprego e renda no interior.
É justo também registrar o apoio da FAEA, OCB e dos deputados estaduais Luiz Castro, Adjuto Afonso e Dermilson para que esse pagamento fosse liberado.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

SEBRAE e FAEA lançam programa em Presidente Figueiredo

Na última terça-feira (08), o Sebrae Amazonas lançou o ‘Programa de Apoio à Pecuária Leiteira no Amazonas’ em Presidente Figueiredo. Com apoio da FAEA, o programa que foi lançado no auditório da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), no município, visa promover o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva da pecuária leiteira no interior do Estado. Trata-se de uma metodologia inédita de transferência de tecnologia que contribui para o desenvolvimento da pecuária leiteira, sem desmatamento de novas áreas.
O evento contou com a presença do Presidente do Sindicato Rural de Presidente Figueiredo, Leonardo Misssissipe, do Secretário Executivo da Sepror, Fernando Vieira, da Diretora Técnica do Sebrae Amazonas, Lamisse Cavalcanti, do Secretário de Produção de Presidente Figueiredo, Ricardo Matos, representantes de instituições do setor primário e produtores rurais. Durante a reunião foram anunciadas ações de fomento da atividade leiteira, a partir de assistência técnica, melhoramento genético do rebanho e missões técnicas.
“O município tem grande vocação para a atividade rural e tem características que lhe colocam em uma situação vantajosa, afinal está próximo do mercado consumidor de Manaus pela Rodovia BR-174 e possui produtores rurais com experiência e tradição nas atividades do campo. Esse Programa irá alavancar a produção leiteira de Presidente Figueiredo que já vem avançando com o projeto Balde Cheio e com a implantação do Laticínio Amazonat”, destacou Muni Lourenço.



Massami Miki confirma ao MP e MPF a urgente necessidade de CONCURSO no IDAM

Nesta quarta (09), no IDAM, o atual presidente do órgão, Massami Miki, confirmou ao MP e MPF a urgente necessidade da realização de CONCURSO PÚBLICO, inclusive mostrando documento já encaminhado ao governador nessa direção. Suas recentes viagens ao interior do estado tem confirmado que não há outro caminho para o Amazonas crescer no setor primário. Os debates que vem acontecendo no âmbito do Fórum Amazonense de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, sob a coordenação da Dra. Aurely Freitas e do Dr. Rafael Rocha, assim como nas discussões sobre alimentação escolar que vem acontecendo no MPF, sob o comando do Dr. Fernando Soave, também já sensibilizaram o MP e o MPF de que não há outro caminho para o Amazonas avançar em sua soberania e segurança alimentar e nutricional. O próximo passo será o encontro, que ficou de ser articulado pelo próprio Massami Miki, com o governador David Almeida.
Fiquei feliz de participar desse momento, acompanhando a Dra. Aurely, na condição de secretário do Fórum Amazonense de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e, ainda, como integrante, a convite do próprio MPF, das discussões sobre alimentação escolar no Amazonas.
Foi um excelente encontro, que focou num assunto onde não existe quem seja contra (fortalecimento do IDAM), mas que é preciso união e força para sensibilizar o governador do estado.
Estou convicto de que, em 2018, teremos esse tão sonhado concurso do IDAM, que ainda não será o IDAM dos nossos sonhos, mas já será um grande passo.