quinta-feira, 26 de abril de 2018

Urucurituba recebe a CONAB amanhã (27)


"Muita gente não tem ideia de como funciona", afirma APARECIDO

De fato, as imagens deixam de forma bem clara o quanto deve ser complexa toda a operação que envolve o recebimento e distribuição de produtos  regionais perecíveis no âmbito do PREME. Em seu facebook, o secretário volta a destacar o orçamento de 63 milhões ao PREME, fala em fornecimento de carnes (bovina, aves e peixes) que, no meu entendimento, pelo volume de compra, e não ser adquirido diretamente de produtores rurais, jamais poderiam ser comprados por meio do PREME (deveria ser adotado outro modelo de licitação). Posso até estar errado, mas algum gestor da ADS ainda vai ter sérios problemas com o TCE. PREME deveria comprar apenas de produtores rurais, associações, cooperativas, consórcios e agroindústria familiar (aquela que tem a própria matéria prima). 
Até agora, o setor espera a publicação dos destinos das quotas do PREME. Se divulgaram os credenciados, qual  a razão de não divulgar as quotas de cada um?
Ouvi do próprio governador o desejo de transparência total ao PREME.




Essa aproximação me deixa esperançoso de um futuro melhor ao AM

Como é bom ver esse tipo de imagem. Essa maior aproximação entre o município e a Embrapa é o caminho mais curto para desenvolver as potencialidades que temos. Conheço a Elizângela e o Raimundo Rocha. Aliás, recomendo assistirem uma palestra do Raimundo Rocha. Repleta de oportunidades ao Amazonas, contudo, o mais importante é o seu entusiamo na apresentação. Parabéns José Michiles pela iniciativa!
Que bom seria se os prefeitos priorizassem, de fato, o setor primário, mas a maioria só fala em saúde, educação e segurança, e em obras. Esquecem que saúde, educação e segurança se resolve com emprego e renda para a população. E o único caminho é  setor agropecuário do Amazonas. 


Economia Solidária tem OFICINA no dia 09


Entomologia e Acarologia tem SEMINÁRIO no dia 19


quarta-feira, 25 de abril de 2018

Reunião do FÓRUM será no INCRA (Agrotóxicos)

Prezado (a) Sr. (a),

Estamos convocando para a reunião do Fórum Amazonense de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, que acontecerá no dia 26 de abril de 2018 (quinta-feira), às 14h (reunião das comissões) e 15h (reunião da plenária), na sala de reuniões do INCRA, localizada na Av. André Araújo, 901, Bairro Aleixo
, com a seguinte pauta:
 
1) Abertura e aprovação da pauta;
2) Aprovação da Ata da reunião anterior;
3) Informes dos membros relacionados a temática do Fórum;
4) Atualização sobre os trabalhos das Comissões;
5) Avaliação do resultado das feiras de produtos orgânicos e o potencial para compras públicas (Preme, PAA, PNAE);
6) Discussão sobre a tramitação do projeto que limita rotulagem de transgênicos;
7) Visita à feira de orgânicos do INCRA.
 
Atenciosamente,
 
Aurely Pereira de Freitas
Promotora de Justiça

Ações do FPS devem andar coladas com as COMPRAS PÚBLICAS

Todas essas ações do FPS deveriam andar coladas com os órgãos públicos responsáveis pelas compras públicas. ADS, CONAB, SEDUC, SEMED/MANAUS, FORÇAS ARMADAS, entre outros, deveriam estar presente para falar sobre oportunidades de compra da produção. Um exemplo: conversei com membros da COOPANORE, justamente a cooperativa que recebeu a câmara frigorífica, eles não sabem qual será a cota do PREME para este ano. Isso deve andar colado, ação do FPS x Compra Pública, ou querem que a estrutura fique abandonada em pouco tempo, como muitas já estão abandonadas pelo interior do Amazonas em ação semelhante a atual.
Falei em SEMED/Manaus pelo potencial de compra do PNAE.
Falei em FORÇAS ARMADAS pelo potencial de compra no PAA/COMPRA INSTITUCIONAL.
A matéria acima é do EM TEMPO

"Inpa, com poucos recursos e pessoal, pode fechar as portas" - EM TEMPO


Dia 27 tem a Festa do Cupuaçu em Figueiredo

Jornal EM TEMPO

"Livre da aftosa no AM pecuária cresce 30%" - EM TEMPO


O pescador do manejo de PIRARUCU agradece!!

A deputada federal Conceição Sampaio relata a importante vitória da Região Norte, em especial do Amazonas, obtida na Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados envolvendo a atividade do manejo de pirarucu. O caminho ainda é longo para ver esses pescadores bem remunerados, mas foi um gigantesco passo, sem volta. Não porque eu quero, ou defenda há anos, mas por ser JUSTO! Obrigado deputada Conceição Sampaio por ter ouvido nosso apelo, agido na construção do PL e, hoje, aprovado na Comissão de Agricultura.
É isso que sempre tenho pedido da nossa bancada federal, maior aproximação do setor primário do Amazonas para obtermos essas justas conquistas.
Confesso que, a cada dia, a cada atitude, a senhora tem me surpreendido positivamente.
Obrigado!! 


Acesse a mensagem clicando no link
https://www.facebook.com/deputadaconceicaosampaio/videos/1134463866696514/


Conceição Sampaio consegue aprovar PL da subvenção do pirarucu na Comissão de Agricultura

Acabei de receber a notícia, de Brasília, que o PL 7678/2017, de autoria da deputada federal Conceição Sampaio, foi aprovado na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR). Esse projeto viabiliza a inclusão do pirarucu de manejo na PGPMBio e, com isso, a possibilidade de receber a subvenção federal quando negociar a produção abaixo do preço mínimo  fixado pelo Governo Federal. Ainda vai para outras comissões, mas a conquista de hoje deve ser comemorada, e muito. Vários estão nessa luta, mas o apoio da deputada federal Conceição Sampaio tem sido de fundamental  importância. Outro registro de agradecimento é direcionado ao analista AUGUSTO, da Conab/Matriz, que em momento algum desistiu, sempre atento e procurando caminhos para essa justa conquista. Obrigado FAEA! Obrigado OCB! Ainda temos caminhos pela frente, mas foi um gigantesco passo dado neste dia. Que bom seria se o governador ajudasse, assim como os demais membros da bancada federal. Em breve, vou divulgar o vídeo da deputada Conceição Sampaio defendendo o projeto na COMISSÃO. 

Não sei o que seria do CEDRS/AM sem o Almir Carvalhal

O Almir Carvalhal sabe o quanto lhe respeito e admiro, nem poderia ser diferente, ele merece toda consideração! Há anos acompanho sua dedicação a esse CONSELHO que é, na minha humilde opinião, o mais estratégico de todos. Deveria ser o mais frequentado pelos secretários com ação na área rural, mas infelizmente, ao longo dos anos, não vem sendo prestigiado como deveria. No início de gestão, os secretários até comparecem, mas depois vai esvaziando, esvaziando, esvaziando, sempre com a justificativa que a ausência decorre de um chamado urgente do governador. Foi assim com todos que passaram pelo Sistema SEPROR, uns mais, outros menos. Agora, na gestão do secretário Aparecido, a história se repete. O primeiro encontro em Rio Preto da Eva foi bem prestigiado. Em Silves, teve a presença do secretário, mas já foi menor, e agora, em Itacoatiara, pelas informações que recebi, e através da foto acima, a ausência da equipe que comanda a SEPROR foi notada. Pergunto: Qual estímulo terá o órgão parceiro (público ou privado), e também o produtor rural, para participar de um evento sem a presença das pessoas que tem a caneta para mudar os rumos da produção rural do Amazonas?
Felizmente o Almir Carvalhal, mais uma vez, estava lá, atento a tudo e a todos. É a memória viva do CEDRS, dos problemas do Amazonas na área rural.
Contudo, não existe CEDRS atuante sem a presença do titular do Sistema SEPROR, sem o funcionamento regular dos seus comitês/câmaras/grupos. É inaceitável ter uma reunião por mês, ou bimestral,  sempre agendada com o aval do secretário, e no dia não comparecer. 
Repito, essa crítica construtiva não está direcionado somente ao Aparecido (que até já participou de duas, faltou a última), mas a todos que passaram, e os que ainda irão assumir o comando da SEPROR.  Prestigiem o CEDRS!! É o melhor fórum para conhecer os problemas do setor, planejar e agir. 
Eu penso assim!!
Em 2016, conforme link abaixo, já falava da importância do Almir.
Valeu Almir!!



  
http://thomazrural.blogspot.com.br/2016/01/almir-carvalhal-e-importante-nos.html

terça-feira, 24 de abril de 2018

Herval, Airton, Malvino e Miberwall agradecem COLABORADORES



Sem o "PEP" produção no Amazonas não avança - Artigo/Jornal do Commercio/AM


Presidente Figueiredo recebe ações da AFEAM

Abaixo, matéria publicado no Jornal do Commercio/AM


Inpa, Ufam e Slow Food no JC

Publicado no Jornal do Commercio/AM

Wanderley pede UNIÃO em defesa dos JUTICULTORES

O ex-vereador Wanderley Barroso fez um importante apelo, em seu facebook, pedindo a UNIÃO de todos os atores envolvidos na cadeia produtiva de fibras (malva e juta). Concordo com quase todos os pontos destacados pelo Wanderley. Precisamos fazer o "feijão com arroz". Resgatar essa atividade é fazer  o "feijão com arroz", é movimentar a economia do interior com retorno rápido. Não tenho notícias sobre o pagamento do atrasado da subvenção estadual de R$ 0,40 kg, mas fiquei feliz em saber que o governador Amazonino vai voltar a comprar semente de malva e juta  no Pará, algo em torno de 80 toneladas. Uma ótima notícia amigo Wanderley Barroso. Vamos esperar que se concretize o mais rápido possível. Quem quiser conhecer a manifestação do Wanderley é só clicar abaixo.

Embrapa comemora 45 anos revisando atuação com foco em megatendências




Embrapa comemora 45 anos revisando atuação com foco em megatendências

No próximo dia 26 a Embrapa vai celebrar 45 anos de história. A data será comemorada no dia 24, às 15 horas, no Auditório Assis Roberto de Bem, da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, em Brasília-DF, numa cerimônia simples, adequada ao momento de contenção de despesas que atinge todo o Governo Federal, como explica o presidente da Empresa, Maurício Lopes, mas que será marcada por quatro novidades importantes. "São ações que, junto com as mudanças em curso na estrutura da Embrapa, vão possibilitar uma reconfiguração da nossa atuação", afirmou.

A primeira será o lançamento do documento “Visão 2030: o futuro da agricultura brasileira”, que consolida sinais e tendências globais e nacionais sobre as principais transformações na agricultura em questões científicas, tecnológicas, sociais, econômicas e ambientais e seus potenciais impactos. “Visão 2030” terá versões digital e impressa e oferecerá bases para o planejamento estratégico das organizações públicas e privadas de ciência, tecnologia e inovação (CT&I). Na Embrapa, vai, particularmente, subsidiar novas estratégias e prioridades da Empresa, a produção do próximo plano diretor e, consequentemente, o trabalho dos 2.448 pesquisadores da Empresa.

Temos que separar DOIS momentos difíceis do ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO no AM

Quando falamos em ESCOAMENTO da produção agrícola temos que separar DOIS momentos. O primeiro deles está registrado nessa foto do EM TEMPO, ou seja, as péssimas condições de ramais/vicinais que dificultam a chegada da produção na sede do município (centro consumidor). O segundo momento, vencida a etapa dos ramais/vicinais, é o alto custo do frete até a capital, Manaus, maior centro consumidor do ESTADO. Nessa segunda etapa é que entra o PEP (Prêmio para Escoamento do Produto), instrumento do governo federal que ampara produtos incluídos na PGPM. Precisamos de um "PEP AMAZÔNICO" para apoiar no escoamento de alguns produtos regionais (do interior/sede até a capital). Assunto da minha coluna de hoje no Jornal do Commercio (vou divulgar ao longo do dia).
Voltando ao primeiro ponto, asfaltamento de ramais/vicinais, essa atividade não pode ficar no Sistema SEPROR, tem que ser de responsabilidade do setor de obras do estado, logicamente atendendo decisão de prioridade levantada pela SEPROR (primeiramente áreas mais produtivas). O atual quadro do Sistema SEPROR já não consegue atender as atuais demandas, não consegue tocar assuntos simples do setor agropecuário local, ainda vai se meter com obras.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

(Milho) Criadores do AM precisam exigir "PRÊMIO" diferenciado ao MAPA

Além dos avicultores e suinocultores, os criadores de peixes, ovinos, caprinos e bovinos do Amazonas precisam pleitear junto ao MAPA um valor do bônus/prêmio ou preço de aquisição diferenciado por razões já conhecidas do setor, principalmente da Associação Amazonense dos Avicultores. O site do MAPA anunciou a venda de 1 milhão de toneladas de milho do estoque público por meio de leilões públicos em razão do elevado preço de mercado que impacta no custo de produção da atividade. O primeiro leilão será dia 27, a partir do estoque existente em Mato Grosso. Em síntese, a história de alta no preço do milho se repete, ainda bem que o estoque público está razoável. Contudo, os criadores do Amazonas continuam vulneráveis a esses aumentos, ou seja, o estado não prioriza o plantio de milho, nem luta junto ao Governo Federal para um tratamento diferenciado em razão da distância do estoque público e outros fatores (metade do estado na pobreza. Carnes e Ovos são alimentos básicos). Fica a dica ao governador, secretário e bancada federal para agendar encontro com o Blairo Maggi, mas antes reunir com os criadores do Amazonas. 
Justiça se faça, a FAEA, assim como a OCB, sempre defenderam essa bandeira, mas precisam de aliados.

Clique, abaixo, para visualizar a matéria que está no site do MAPA

Garantia Safra poderia estar ajudando produtores de Manicoré e Novo Aripuanã

A história se repete! Se não fosse o descaso dos governos Omar, Melo, David, e agora o do Amazonino (que não dá sinais de que o assunto vai entrar em pauta no Sistema SEPROR), certamente alguns produtores rurais de Manicoré e Novo Aripuanã receberiam o valor financeiro do Programa Federal GARANTIA SAFRA. A partir de 2013, a presidenta Dilma estendeu os benefícios do GARANTIA SAFRA ao Amazonas, pois era exclusiva ao Nordeste e parte de Minas Gerais. Por esse motivo, a cobrança a partir do governo Omar. Ainda não perdi a esperança de ver esse assunto em debate na SEPROR. Veja, abaixo, o link da notícia no próprio site do governo. Tenho certeza que o GARANTIA SAFRA ainda não chegou aos ouvidos do governador Amazonino, pois quem viabilizou a PEC, Concurso e algumas nomeações técnicas no Sistema SEPROR não colocaria obstáculo ao GARANTIA SAFRA, que não tem ligação com o SEGURO RURAL.
http://www.amazonas.am.gov.br/2018/04/apos-avaliacao-tecnica-da-defesa-civil-am-novo-aripuana-e-manicore-decretam-emergencia-devido-a-enchente/

Contratos com AADES terminam esta semana. Que venha logo o CONCURSO!

O IDAM confirma que alguns contratos temporários estão realmente terminando esta semana, e que estão adotando providências para que os serviços nas pontas não sejam prejudicados. Não será possível um novo PSS por questões legais, nem a permanência dos atuais contratados, mas deverá ser feito novo aditivo com a AADES, de um ano, chamando as pessoas que estão no cadastro de reserva. Não é o ideal, mas o que está sendo possível no momento. 

Quanto ao CONCURSO, continua tramitando nas esferas pertinentes do Governo Estadual, aguardando a autorização final do governador, ou seja, seguir o mesmo caminho do concurso recentemente já autorizado da SEDUC. 

Qual será a cota do NOVO REMANSO ao PREME/ADS?

Aproveito a postagem da amiga Meyb Seixas para saber qual será a quota do PREME para os produtores e grupos formais de NOVO REMANSO, maior referência na produção de abacaxi do Amazonas (POLPA E FRUTA). É essa transparência que tenho sugerido ao secretário Aparecido para adotar nas ações da ADS.

Quer ser um instrutor ou consultor do SENAR-AM?

Maiores informações acessando o link
http://senar-am.org.br/

FAEA destaca a importância do IFAM ao setor rural do AM

Em matéria do Jornal do Amazonas, o presidente da FAEA, Muni Lourenço, destaca a importância do IFAM ao completar 77 anos. Acesse o link..

sábado, 21 de abril de 2018

A Central de Iranduba deveria ter uma EMPACOTADORA para ajudar o INTERIOR

A notícia abaixo é do IDAM, e mostra mais uma vez a importância desse órgão no apoio ao produtor rural. São  2 mil sacas de farinha com destino a Manaus, ou seja, ao PAA (não sei se o operado pela SEPROR, CONAB ou até mesmo o COMPRA INSTITUCIONAL, que também é PAA, só que os compradores são órgãos públicos do Governo Federal), PREME , FEIRAS e SUPERMERCADOS. Não há citação ao fornecimento ao  PNAE, nem no próprio município, nem estado/SEDUC (ainda via lançar chamada este ano) ou qualquer outro município (que também pode). 
Bem, além de destacar o trabalho do IDAM, dos produtores e do amigo Haroldo, da ATAE, resgatei essa matéria para ratificar minha sugestão de que a CENTRAL DE ABASTECIMENTO DE IRANDUBA precisa ser estruturada pelo FPS para uso coletivo de produtores e grupos formais.
EXEMPLO: Essa farinha que está vindo de Eirunepé, essas 2.000 sacas, certamente passarão por uma EMPACOTADORA PRIVADA para embalar nos padrões exigidos pelos compradores, e logicamente passar por uma classificação. Bem, quem tem recurso financeiro não vejo problema algum em procurar as empacotadoras da cidade, mas a expressiva maioria dos nossos produtores rurais e grupos formais (associações, cooperativas e consórcios) não tem condições. Então, a CENTRAL DE ABASTECIMENTO DE IRANDUBA poderia ter essa estrutura a serviço do produtor rural do Amazonas, prioritariamente do pequeno, que são muitos.
Fica a dica ao novo presidente da ADS, Túlio! 

Thomaz Rural

Texto abaixo é do IDAM...
Idam acompanha embarque de 2.000 sacas de farinha de mandioca em Eirunepé
Em Eirunepé, município distante 1.159 quilômetros de Manaus, a Unidade Local do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) acompanhou, em visita à Associação dos Trabalhadores Agroextrativistas de Eirunepé (Atae) nesta quinta-feira (19/04), o embarque de 2.000 mil sacas de farinha de mandioca.

As sacas, contendo as variedades de mandioca branca e amarela, totalizaram 100 toneladas, que serão vendidas em Manaus para os programas do Governo Estadual e Municipal, como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme), além de possibilidade de comercialização nos supermercados da capital.

Segundo o gerente local do Idam no município, Andreson Cardoso, a associação tem papel fundamental no desenvolvimento econômico dos produtores familiares da região e pontua, “a Atae vem garantindo a compra da produção de farinha de mandioca dos agricultores familiares de Eirunepé, atendendo em torno de 300 famílias diretamente e mais 300 indiretamente, que moram às margens do Alto Rio Juruá; Baixo Rio Juruá; Rio Itucuman; Rio Tarauacá; Rio Eiru; Rio Gregório e entorno da cidade”.

O gerente destaca ainda, a expectativa da associação para o corrente ano, “a meta da Atae, é comprar 1000 toneladas de farinha de mandioca neste ano de 2018, que tem recursos financeiros garantidos, através dos financiamentos feitos pela Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), que beneficia associações e programas do Governo do Estado, como o PAA e o Preme, e venda para o mercado consumidor da capital Manaus”, disse Andreson.


Na próxima terça (24) tem reunião do Comitê do Agronegócio FIEAM/FAEA

Prezado Senhor,
  
Convidamos V. S.ª que a 3ª Reunião do Comitê de Apoio ao Desenvolvimento do Agronegócio no Amazonas de 2018.

Data:      24/04/2018 (terça-feira)
Horário: 16 horas
Local:    Sala de Reunião Engels Medeiros, Av. Joaquim Nabuco, 1919 – 3º andar - Centro – FIEAM.


Contando com sua importante presença, aproveitamos a oportunidade para apresentamos nossas

Cordiais Saudações

Atenciosamente,

Nelson Azevedo dos Santos
1º Vice-Presidente da FIEAM
Coordenador Geral das Coordenadorias Operacionais 


Federação das Indústrias do Estado do Amazonas
Av. Joaquim Nabuco, 1919 – Centro  Cep: 69020-031
Fone: (92) 3186-6503/6516  Fax: (92) 3622-6383
 

Confirmações: (92) 3186-6516 / 98419-9491 (WhatsApp)