segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Será verdade os comentários da saída do Alexandre da ADAF?




Há fortes comentários de que o governador Amazonino vai exonerar o Alexandre Henriques da ADAF. Alexandre tomou posse na última sexta-feira, e foi, no meu ponto  de vista, a única escolha que levou em consideração o perfil técnico e a prata da casa entre as indicações para os cargos do Sistema SEPROR. O Diário Oficial mostra, claramente, que a nomeação foi assinada pelo Amazonino, Sidney e Aparecido. Então, quem manda mais do que os três? Sinceramente, não estou entendendo essa TOTAL E CLARA FALTA DE ENTROSAMENTO.  A única explicação para uma possível saída do Alexandre estaria na formação da equipe, ou seja, a "Compensa" queria empurrar pessoas sem o aval do Alexandre. Há comentários de que o Aparecido tentou segurar o Alexandre, mas foi voto vencido na "Compensa". Assim fica difícil acreditar em dias melhores para o setor primário do Amazonas. Tá começando muito mal!!

É preciso fazer o dever de casa para fortalecer o justo direito de ser candidato ao Planalto

A notícia acima está no Portal do amigo Marcos Santos. Acho interessante e correta essa iniciativa do Arthur de entrar na briga do PSDB pela candidatura à Presidência da República colocando o Norte em evidência, mas seus assessores diretos precisam ajudar dizendo ao Arthur que é a AGRICULTURA FAMILIAR e o AGRONEGÓCIO que estão segurando o Brasil na atual crise, e que a capital administrada por ele sequer tem uma secretaria municipal de produção rural. Aliás, dos 62 municípios do Amazonas, só Manaus não tem uma secretaria que cuida do tema que não deixou o Brasil quebrar completamente. É importante corrigir essa falha imediatamente. Os assessores diretos do Arthur também precisam dizer a ele que o governo do PT também teve acertos, um bom exemplo está nas cozinhas comunitárias da própria Prefeitura de Manaus que recebem alimentos frescos e diretos do produtor de um programa criado pelo PT, inclusive orgânicos. Rotta e Elias Emanuel participaram de uma dessas entregas de alimentos para as cozinhas comunitárias. A ex-primeira dama também participou e conhece esse programa. Sei que o PT tem vários erros, mas é importante reconhecer os acertos. Outra ação que o Artur precisa urgentemente adotar se refere às 95 toneladas de alimentos que vão parar no lixo diariamente, mas que poderiam perfeitamente ser recicladas. A UNINORTE já mostrou como fazer isso na ALEAM e na FIEAM. Determine que o FMS converse com a UNINORTE e o MESA BRASIL e priorize essa reciclagem, pois Manaus tem 322 mil pessoas passando fome. Repito, acho correto o Arthur pleitear ser candidato, mas precisa, internamente, adotar esses procedimentos que tem ligação direta com a Soberania e a Segurança Alimentar e Nutricional. Vejam, abaixo, notícias que comprovam as afirmativas acima.



domingo, 22 de outubro de 2017

Setor pesqueiro do Amazonas deveria ter uma SECRETARIA EXCLUSIVA diante do inegável POTENCIAL

Essa foto registra a equipe da SEPA trabalhando o planejamento do governo Amazonino Mendes, ou seja, esquece o PLANO SAFRA e a NOVA MATRIZ ECONÔMICA para começar tudo de novo. Conheço todos os profissionais que estão nessa reunião, e sei o quanto querem acertar mais do que errar. Sei o quanto querem contribuir com o desenvolvimento do setor pesqueiro e aquícola do nosso estado.  Contudo, é fácil perceber que o tamanho da equipe da SEPA é totalmente incompatível com as demandas amazônicas. O setor pesqueiro (extrativo, criação e manejo) deveria ter uma SECRETARIA EXCLUSIVA, e não ser vinculado à SEPROR. Em cada UL do IDAM deveria ter um, dois ou três engenheiros de pesca (dependendo do potencial do município). Um dia a gente chega lá, só espero que não desistam! Não me venham com contenção de despesa, enxugamento da máquina, tem que conter e acabar com a CORRUPÇÃO. Essa é a maior e correta economia.

Atingidos pela barragem de Balbina ainda lutam para receber as CESTAS de ALIMENTOS do MDS

Encontrei esse determinado grupo da Balbina durante encontro da OCB em Presidente Figueiredo. Há anos, os atingidos pela barragem de Balbina lutam para receber as cestas de alimentos do Governo Federal/MDS. Percebi que o grupo avançou na organização, assim como nos documentos necessários para apresentar ao MAB (Movimento Nacional dos Atingidos por Barragens). O grupo participará da próxima reunião do CONSEA, dia 30. Bem, a primeira etapa é chegar essa nova documentação no MAB/ Nacional. Em seguida, o MAB/Nacional encaminha o pleito ao MDS. Se o MDS acatar, ele vai autorizar a Conab/AM a entregar os alimentos.  Bem, o caminho ainda é longo, mas tá avançando. Essa ação faz parte do MDS. 

sábado, 21 de outubro de 2017

SEPROR e SEMA precisam se aliar à Conab para ampliar ações da PGPMBio no Amazonas

Interessante a matéria publicada no site da CONAB. Deveria ser lida pela SEPROR, SEMA, IDAM, SEPA, ADS, entre outras. Quem opera essa política é a CONAB, mas a parceria é fundamental para que o objetivo do governo federal, "que é ampliar o alcance da Política", seja mais facilmente atingido. A nova equipe do governador Amazonino, principalmente dos Sistemas SEPROR e SEMA, precisam, urgentemente, procurar a Conab para entender como funciona essa importante ferramenta de apoio à comercialização de produtos do extrativismo. São recursos federais para apoiar o Amazonas. Nesse encontro, é fundamental a presença da FETAGRI, FAEA, OCB, CNS e UNICAFES. Quem sabe propor novas inclusões de produtos extrativos (pirarucu e murumuru já estão sendo pleiteados). Hoje, o único produto que tem amparo das duas subvenções (estadual e federal), e em alguns casos do município, é a borracha. A piaçava já tem apoio federal, mas precisaria ser incluído na pauta estadual por razões óbvias. Me parece que o novo presidente da ADS, Lucio Flavio, sinalizou apoio nessa direção. 

Além disso, duas outras pautas poderiam ser trabalhadas nessa UNIÃO. São elas: o plus financeiro adicional ao preço mínimo da PGPMBio em razão dos serviços ambientais prestados pelo extrativista e, também, o PEP Amazônico para apoiar no escoamento da produção dentro do Amazonas e, quem sabe, na Região Norte.

Veja, abaixo, a matéria completa que está disponível no site da CONAB...www.conab.gov.br



Extrativistas contemplados pela Política de Garantia de Preços Mínimos para Produtos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio) registraram, no último ano, um acréscimo de 23,7% na renda familiar. É o que revela estudo realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Executada em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e com a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), a Política assegura cotação mínima para 15 produtos extrativos, entre eles açaí, babaçu, borracha extrativa, cacau extrativo, castanha-do-brasil, mangaba e pequi.

Segundo levantamento da Conab, em 2016 a ação proporcionou um complemento médio de renda de aproximadamente R$ 1.216,50 por família, valor que corresponde a 1,38 salários mínimos. O estudo sobre o impacto da Política demonstra ainda que a subvenção concedida pelo governo federal foi maior que a renda anual de 10% das famílias contempladas.

Ao longo do ano passado, 4.512 extrativistas acessaram a PGPM-Bio e receberam um total de R$ 5,52 milhões como complemento pela venda de sua produção por preço abaixo do mínimo calculado pela Conab. As culturas mais contempladas foram amêndoa de babaçu, mangaba, borracha extrativa, açaí, cacau extrativo, macaúba, piaçava, umbu e pequi.

"A meta do governo federal é ampliar o alcance da Política, de forma a garantir renda a populações que utilizam conhecimentos transmitidos há gerações e, simultaneamente, fomentar a proteção ao meio ambiente", afirma Ianelli Sobral Loureiro, gerente de Produtos da Sociobiodiversidade da Conab.

Com este objetivo, a Companhia vem realizando visitas de divulgação e capacitação voltadas a extrativistas e parceiros em diversas regiões do país. Os encontros também possibilitam o mapeamento de gargalos e desafios para expansão da ação governamental. Este ano, 2945 extrativistas acessaram a PGPM-Bio até setembro, com subvenção total de R$ 3,77 milhões.

A Política de Garantia de Preços Mínimos para Produtos da Sociobiodiversidade foi implementada em 2009 com o objetivo de garantir complemento de renda a povos e comunidades tradicionais. Desde sua criação, mais de R$ 37,7 milhões já foram aplicados no apoio à comercialização de produtos extrativos em todo o território nacional.

Por meio da Política, a Conab oferece subvenção direta aos extrativistas, pagando um bônus após a comprovação da venda de sua produção por um preço inferior ao fixado pelo governo federal. Os produtores podem acessar o benefício individualmente ou organizados em associações/ cooperativas, desde que previamente registrados no Sistema de Cadastro Nacional de Produtores Rurais, Público do PAA, Cooperativas, Associações e Demais Agentes (Sican).


Mais informações para a imprensa:
Gerência de Imprensa
(61) 3312-6338/ 6344/ 6393/ 2256


Demissões no IDAM vão desgastar a imagem do governador no setor primário

Quero esclarecer ao leitor (comentário abaixo) que mencionei o nome do ex-prefeito de Envira, Romulo Mattos, por acreditar que ele já participa da equipe que está no comando do IDAM (na foto acima, de ontem, aparece o Rômulo na reunião que tentou resolver o atraso no pagamento dos colaboradores do IDAM/AADES). Jamais imaginei, e discordo totalmente se vier a acontecer, de uma possível indicação do Rômulo para a Diretoria Técnica do IDAM, mas o conheço há bastante tempo e sei que ele reúne todas as condições para assessorar o governador Amazonino Mendes na "Compensa", não na DITEC/IDAM.  Aliás, posso estar equivocado, mas acho que nem o Rômulo quer a DITEC. Em síntese, tenho sempre dito que todos os cargos do IDAM devem ser ocupados por gente da casa, inclusive nas UL's. Sempre defenderei esse procedimento, pois é o melhor pro Amazonas.


Contudo, se forem confirmadas essas inaceitáveis mudanças no IDAM CENTRAL e nas UL's, os idealizadores desse arranjo estarão comprometendo, mais uma vez, a imagem do governador Amazonino perante o setor rural, perante os 275 mil agricultores familiares do AM.

Há comentários de afastamento de servidores estratégicos ao funcionamento do órgão e de outros ligados ao setor agropecuário. Sei que ninguém pode se eternizar na função, mas mudar por mudar, sem qualquer critério e avaliação dessas mudanças, certamente levarão a retrocessos no setor rural do AM e, como já disse acima, desnecessário desgaste ao governador do estado.

Será que o Amazonino sabe disso? Penso que não. O ideal seria criar, no mínimo,  mais dois cargos em todas as UL's do IDAM para apoiar ações ligadas à comercialização (PAA, PNAE, PGPMBIO, PROVB, COMPRA INSTITUCIONAL, PREME, PROMOVEIS, FEIRAS etc). Até poderia acomodar alguns apadrinhados políticos do interior, mas que tenham capacidade técnica para tocar as funções.  É só estancar a corrupção que isso é possível!



Em 2018 tem eleição, ou melhor, reeleição...

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Ambiente de incertezas no IDAM Central e nas Unidades Locais volta a preocupar

Não acredito que o Sidney Leite (Casa Civil), Aparecido (SEPROR), Campelo (IDAM) e Rômulo Mattos irão permitir o loteamento do IDAM com apadrinhados políticos (Central e nas UL's) sem qualquer vínculo com as nobres missões do IDAM.  Os comentários no IDAM CENTRAL e nas UNIDADES LOCAIS de possíveis indicações sem qualquer critério são grandes. Sinceramente, não acredito que os atuais gestores vão repetir os erros da gestão anterior. Acredito que o Sidney Leite, que conhece profundamente o Sistema SEPROR, vá sensibilizar o Amazonino a encontrar outro caminho, mas que não seja no IDAM, um órgão técnico com potencial para fazer o Amazonas voltar a sorrir. O clima não está bom lá dentro, mas conheço o Sidney, Campelo e Rômulo, e sei que não deixarão que indicações sem qualquer critério prossiga na Central e nas UL's. 

Sugestões ao novo presidente da ADS

Bom saber que o Lúcio, da ADS, tem como missão do Amazonino ampliar o PREME. Agora, na minha opinião, ampliar o PREME significa priorizar o pequeno produtor e seus grupos formais (associações e cooperativas), e não agroindústrias e frigoríficos privados com pagamentos de altos valores. Essas agroindústrias e frigoríficos privados deveriam ser parceiros indiretos dos produtores e respectivos grupos formais no beneficiamento da produção, e não vendedores diretos ao PREME. Quem tem que vender direto ao PREME é o produtor rural e seus grupos formais. Gostei da frase do Aparecido quando fala em "gerar benefícios diretos aos nossos produtores". É assim que tem que ser no PREME. Se esses produtores não tem capacidade para atender tudo que a alimentação escolar precisa, então façam a licitação normal para comprar de agroindústrias e frigoríficos privados, pois não é "legal" usar o PREME para essas aquisições. A área jurídica deve saber disso. Contudo, se insistirem em fazer errado, ou seja, comprar de agroindústrias e frigoríficos privados por meio do PREME, no mínimo uma atitude deve ser tomada para atender o desejo do novo SEPROR, José Aparecido. Exijam e publiquem no site da ADS o nome de todos os pescadores, extrativistas e produtores de quem essas agroindústrias e frigoríficos privados estão comprando o produto entregue ao PREME. Além do nome do produtor, que deve ser do Amazonas, exijam o valor que está sendo pago e a quantidade comprada. Agindo assim vamos "gerar mais emprego e renda nos 61 municípios" e "tirar o estado da estagnação".  Mais um comentário, fiquei feliz em saber que a política de subvenção será continuada, e que a inclusão da piaçava pode ocorrer. Nesse assunto, o primeiro passo é a quitação do que ainda está pendente. O segundo passo é ampliar a subvenção dos juticultores, hoje em apenas R$ 0,40 kg. Peço desculpas ao Lúcio pela intromissão, só quero ajudar o Amazonas, com o pouco dos erros e acertos que adquiri ao longo dos últimos anos. Tenho outros comentário, mas farei em outro momento. Desejo sucesso!!

Será que agora o SETOR PRIMÁRIO entrará em pauta na "Compensa" e na "Bancada Federal"?


Essas notícias comprovam que o modelo PIM/ZFM está com os dias contados. Nossa alternativa está nas mãos dos nossos 275 mil agricultores familiares. Tá dando certo no resto do Brasil, qual a razão de não ser sucesso no Amazonas? A Embrapa sabe como fazer, e o IDAM (estruturado e bem remunerado) pode executar essa mudança de modelo econômico.


Rômulo Mattos esclarece motivo do atraso aos colaboradores do IDAM/AADES

Rômulo Mattos, ex-prefeito de Envira, postou essa foto em um grupo de whatsapp dizendo que se tratava de uma reunião entre a diretoria do IDAM e da AADES para resolver entraves deixados pela gestão anterior que está prejudicando inúmeros colaboradores do IDAM que, até hoje, dia 20, não receberam o salário de SETEMBRO. Quem vai pagar a multa e os juros dos cartões desses colaboradores? Se a culpa foi da gestão anterior, nada vai acontecer? Nada contra o Rômulo, Campelo e Miberwall, conheço os três, tive e tenho excelente relacionamento com todos. Sei que vão se esforçar para resolver urgentemente o problema do salário atrasado, pois sabem que nenhuma outra ação vai evoluir sem resolver esse problema. Contudo, volto a defender que todos os cargos do IDAM sejam exclusivos de servidores da casa. Um pedido aos três: resgatem as ações do Plano Safra lançado pelo Sidney Leite quando era SEPROR, ele é bom, e ainda vcs terão um forte aliado na Casa Civil. Outra coisa, definam uma cadeia produtiva para deixar redonda em um ano e quatro meses (caso Amazonino não se reeleja). Eu defendo as fibras, borracha e castanha, mas chamem o CEDRS para discutir essa prioridade. Não estou dizendo para abandonar as demais, mas essas estão "fechadas" no Amazonas. Vão do produtor ao comprador. É só uma sugestão..

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

TV Maskate libera a íntegra da entrevista com o Muni e Thomaz no Programa "TODOS pela AMAZÔNIA"

https://www.facebook.com/tvmaskate/videos/vb.261463840598839/1500059966739214/?type=2&theater

Barcelos é sede de novo encontro sobre a PIAÇAVA

Começou, hoje, em Barcelos, mais um evento que tem a cadeia produtiva da piaçava como ponto principal. Em breve, mais notícias sobre esse encontro....


FÓRUM DIÁLOGO AMAZONAS


Veja o que foi dito na posse do novo presidente da ADS

Essa matéria é de responsabilidade da área de comunicação da SEPROR. Em outro momento vou comentar alguns pontos do que foi dito na posse. Contudo, a primeira ação do SISTEMA SEPROR deveria ser regularizar o pagamento dos colaboradores do IDAM/AADES.

Luiz Castro critica falta de compromisso na produção de juta e malva

O que será que o Amazonino vai fazer com os juticultores? Essa cadeia produtiva precisa de pequenos ajustes para ser exemplo de sucesso. As indústrias aqui instaladas estão importando matéria-prima do outro lado do mundo, ou seja, mandando milhões para Bangladesh quando poderiam ir para o bolso do juticultor amazonense. 

Amazonino e Artur precisam acabar com a FOME de 1,3 milhão no Amazonas (sugestão)

Aproveito esse bom ambiente entre o Amazonino e Artur para lembrar que temos 1.367.745 pessoas no Amazonas na condição de extrema pobreza. Desse total, 322.921 na capital, portanto, sob a responsabilidade direta do prefeito Artur. Na minha opinião, nada é mais prioritário na pauta do Amazonino e Artur do que acabar com a fome que essas pessoas passam diariamente. Elas vivem com menos de R$ 85 por mês. Então, os dois deveriam determinar que a FMS e o FPS, juntos, priorizassem esses 1,3 milhão de pessoas. Essa é a ação NÚMERO UM do FMS e do FPS. Não inventem outras ações, essa é a prioridade máxima, a FOME. O foco de atuação inicial deveria ser a reciclagem das 95 toneladas de alimentos das 40 feiras de Manaus que vão parar no lixo todos os dias. Vejam, abaixo, a matéria do Diário do Amazonas. A UNINORTE já mostrou como fazer, e o Mesa Brasil tem estrutura e conhecimento no combate à fome. Recentemente, o Comitê de Agronegócios da FIEAM/FAEA tratou dessa pauta, mas infelizmente sem a presença da prefeitura e do governo do estado. Vou continuar cobrando!!

FPS (Fundo de Promoção Social) e FMS (Fundo Manaus Solidária)

Será que a APEACA (Japurá) já recebeu o pagamento pelo fornecimento ao PREME?

Será que os pescadores artesanais da APEACA já receberam o pagamento pelo fornecimento ao PREME operado pela ADS?  Maiores comentários sobre este assunto no link a seguir....
http://thomazrural.blogspot.com.br/2017/10/pescadores-de-japura-esperam-desde.html

É inaceitável a SEPROR ficar fora desse CONGRESSO

É desnecessário repetir o gigantesco potencial do extrativismo e cultivo de borracha (seringueira) que o Amazonas tem, mas é sempre bom lembrar. Também é bom lembrar que na estrada Manaus/Itacoatiara tem uma indústria importando borracha de outras regiões quando poderia, perfeitamente, comprar do interior do estado, seja a do extrativismo ou do cultivo (Embrapa/Everton já tem tecnologia), mas não compra porque não tem produção.  Também é bom lembar que a borracha tem amparo da subvenção federal e da estadual. Também é bom lembar que essa cadeia faz parte do PLANO SAFRA lançado pelo ex-secretário de produção rural, hoje na Casa Civil, deputado Sidney Leite. Por tudo isso, sinceramente, NÃO acredito que o Sistema SEPROR não estará presente nesse CONGRESSO, e que em paralelo acontecerá o encontra da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Borracha Natural, coordenada pelo MAPA. É inaceitável a "Compensa" não liberar passagem e diária para ter um ou mais representantes nesse encontro. 

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Amanhã (quinta) tem ABACAXI ORGÂNICO regional na FEIRA DO INCRA

A Feira do INCRA, em parceria com a ADS, acontece toda quinta-feira dentro da sede do INCRA, no Aleixo. Vá lá!! Além do abacaxi, tem vários outros produtos regionais. Preço excelente!! Valorize o agricultor amazonense!!
Começa às 16h, podendo estacionar no Clube dos Oficiais...

Entrevista com Muni e Thomaz no "TODOS pela AMAZÔNIA", de Oswaldo Lopes





Ministro recebe Eduardo Braga e Serafim Taveira

Nesta quarta (18), em Brasília, o ministro Osmar Terra (MDS) recebeu o senador Eduardo Braga e o superintendente da Conab, no Amazonas, Serafim Taveira. Em pauta, a liberação de mais recursos financeiros para o Programa de Aquisição de Alimentos - PAA. Segundo informações recebidas do Serafim Taveira, o ministro prometeu liberar mais R$ 2,1 milhões. O senador Eduardo Braga reivindicou R$ 5 milhões, já que a demanda dos agricultores familiares do Amazonas, já nas mãos da Conab/AM, é de R$ 14,7 milhões. Importante a iniciativa do Serafim e do Eduardo, mas é justamente nesse momento que sinto falta da UNIÃO de toda a bancada federal em defesa do setor primário do Amazonas. 


Cooperativismo ganha FRENTE PARLAMENTAR em Presidente Figueiredo

Ontem, dia 17, no Plenário da Câmara Municipal de Presidente Figueiredo, foi instalada a Frente Parlamentar Municipal do Cooperativismo de Presidente Figueiredo. Iniciativa que deveria ser seguida pelos demais municípios do Amazonas. Presentes a presidente da Câmara, Patrícia Lopes, e os vereadores Anderson Leal e Inês Sampaio. A iniciativa foi do Sistema OCB/SESCOOP/AM. É importante que essa FRENTE PARLAMENTAR, iniciada com três vereadores, defenda todos os ramos cooperativismo, em especial o agropecuário, que é forte em Presidente Figueiredo.  


Economista e conhecedor da atividade mostra o caminho para o Amazonino, Aparecido, Campelo e Lucio...

Comentário lúcido de quem conhece profundamente a cadeia produtiva de fibras de malva e juta. Esse é o caminho que o Amazonino, Aparecido, Campelo e Lúcio devem seguir se quiserem fazer os municípios do interior envolvidos com a atividade voltarem a sorrir com empregos e renda. Com a pequena equipe e orçamento do Sistema SEPROR não é recomendado atirar para todos os lados. A cadeia produtiva da malva está fechada, vai do produtor até o comprador (indústria). Continuar aceitando a importação de milhares de toneladas do outro lado do mundo é manter o descaso dos últimos ocupantes da "Compesa". Espero que o Amazonino faça diferente, e ouça vcs que estão no comando. Se fizerem o "feijão com arroz" já será grande avanço. Aliás, lembrei que essa cadeia faz parte do Plano Safra lançado pelo Sidney Leite quando estava na SEPROR.


ULBRA coloca em pauta o SETOR PRIMÁRIO do Amazonas

Ontem, dia 17, atendendo convite da ULBRA, apresentei, durante a  VIII Mostra Científica Interdisciplinar de Pesquisa e Extensão,  o tema: "O empreendedorismo no Setor Primário" destacando as dificuldades e potencialidades. Gostei muito! Obrigado à direção da ULBRA e aos alunos dos diferentes cursos (agronomia, direito, enfermagem, administração, entre outras)



EXPOPIN de Parintins poderá não ser realizada...

Algumas reflexões sobre a matéria do site PARINTINS REPÓRTER. Primeiro, é lembrar que a tradicional EXPOAGRO já caminha para o QUARTO ano sem realização, mesmo os últimos governadores afirmando que o "interior é prioridade". Agora é a EXPOPIN, de Parintins, que corre o risco de não ser realizada por falta de apoio do estado. A decisão final, segundo a matéria, está nas mãos do prefeito BI GARCIA. Bem, no final da semana passada teve uma bonita festa na Ilha, que deve ter tido o apoio da prefeitura. Então, a EXPOPIN também deverá ter o apoio do BI e TONY em função do que representa a pecuária parintinense para o município e o Amazonas. Contudo, já está passando da hora de realizarmos eventos sem depender de governo, mesmo que seja um evento simples. No meu ponto de vista, governo (EXPOAGRO) ou  município (EXPOPIN) tinham que disponibilizar simplesmente o local com toda a estrutura. O resto ficaria com empresas privadas. Acho de extrema importância esses eventos por mais simples que sejam. O público sempre prestigie!


Ausências inaceitáveis em evento que debateu o setor primário em Presidente Figueiredo

Ontem, atendendo convite da OCB-AM, falei sobre possíveis ações que podem contribuir para avanços na SOBERANIA e na SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL das pessoas que vivem no Amazonas. É inaceitável ter 1.367.745 pessoas na extrema pobreza, ou seja, vivendo com menos de R$ 85 por mês num estado repleto de potencialidades. Além da OCB, estavam presentes a CONAB, CONSEA, SEPROR, IDAM e várias cooperativas. O evento foi na Câmara Municipal de Presidente Figueiredo, mas dos 11 vereadores, apenas 2 presentes. Não vi o prefeito, nem vice, nem o secretário de produção do município. Certamente priorizaram outra pauta, deixando a FOME e a POBREZA para segundo plano. Não aceito!! Nenhuma pauta é mais importante do que acabar com a FOME e gerar empregos no interior.


"Adubo químico não é agrotóxico", segundo Pesquisador Científico do Instituto Agronômico de Campinas



terça-feira, 17 de outubro de 2017

Produção de juta e malva em queda livre no Amazonas

 O artigo foi publicado nesta terça-feira no Jornal do Commercio/AM



Amazonino, Sidney e Aparecido confirmam ALEXANDRE na ADAF


Número de acessos e de manifestações positivas mostram que o caminho correto é a indicação de servidores da casa com perfil técnico. 2.389 pessoas alcançadas até hoje.

S.O.S LEITE "Balde Cheio, Bolso Vazio" - Manifesto Nacional

Quem tiver interesse no inteiro teor desse manifesto solicitar pelos e-mails: thomaz.meirelles@hotmail.com e/ou thomazrural@hotmail.com